II Seminário Internacional Urbicentros

Universidade Federal de Alagoas

September 27, 2011 – October 1, 2011


ATENÇÃO!!!

Caros autores,

Caso você tenha seu trabalho aceito para publicação no formato de artigo completo ou resumo, por favor, siga as instruções; 

1.    Efetue as correções indicadas pelos avaliadores (se for o caso);

2.     Insira o trabalho no TEMPLATE do evento, clicando no link URBC11, contendo cabeçalho e rodapé padronizados (caso seu trabalho não tenha sido enviado no modelo padrão);

3.    Complete com os nomes e instituições de todos os autores, assim como demais informações que foram omitidas para a avaliação cega;

4.    Retorne o novo arquivo até 20 de junho exclusivamente para o e-mail urbicentros2011@gmail.com;

5.    Efetue o pagamento e inscrição de pelo menos um dos autores até o dia 7 de julho (vide instruções no link "inscrições" no endereço do evento: http://www.pos.arquitetura.ufba.br/urbicentros_2011.swf

Esclarecemos que o aceite definitivo do seu trabalho está condicionado ao envio do novo arquivo no formato definitivo em 20 de junho e a publicação nos anais do evento está condicionada ao pagamento e inscrição de pelo menos um dos autores até 7 de julho.

Durante o mês de julho a comissão organizadora entrará novamente em contato com os autores que tiveram seus trabalhos selecionados também para APRESENTAÇÃO ORAL durante as Sessões Temáticas do evento.

Instruções para autores que tiveram o artigo aceito para a publicação do RESUMO, com apresentação no formato de BANNER:

- Neste caso, você deverá reenviar seu arquivo contendo as informações completas dos autores e respectivas instituições até 20 de junho e também efetuar inscrição e pagamento até 7 de julho;

- O banner deverá ser confeccionado em lona vinílica, no tamanho padrão (80 x 120 cm), diagramação livre e entregue no dia do evento para a equipe responsável para fixação em local específico, ficando por conta do autor a retirada ao final.

 Atenciosamente,

Comissão Organizadora.

 

O Seminário Internacional URBICENTROS é um desdobramento do programa DINTER-CAPES (Doutorado Inter institucional Novas Fronteiras) realizado entre a Universidade Federal da Bahia (UFBA) e a Universidade Federal da Paraíba (UFPB), tendo como promotor na UFBA, o Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo (PPG-AU-UFBA) e, como programas receptores na UFPB, os Programas de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo (PPGAU-UFPB) e em Engenharia Urbana e Ambiental (PPGEUA-UFPB).

Este DINTER, concebido desde o começo como um eixo aglutinador de experiências e de saberes em torno das temáticas urbanas, especificamente da região Nordeste, tem como colaboradores os Programas de Pós-Graduação em Desenvolvimento Urbano da Universidade Federal de Pernambuco (MDU-UFPE), e em Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (PPGAU-UFRN). Visando reforçar o “eixo nordeste” no cenário nacional, o Seminário Internacional URBICENTROS, em sua segunda edição, é sediado pelo PPGAU da Universidade Federal de Alagoas (Mestrado em Dinâmicas do Espaço Habitado - DEHA) que passa assim definitivamente a integrar a rede de Programas de Pós Graduação articulados através deste programa DINTER-CAPES.

CONSTRUIR, RECONSTRUIR, DESCONSTRUIR: MORTE E VIDA DOS CENTROS URBANOS.

O valor histórico, arquitetônico e cultural de certas áreas, vem influenciando as formas de intervenção na cidade, que muitas vezes passam a ser vistas como locais cristalizados e protegidos. Nas difundidas propostas de requalificação inseridas em discursos políticos de planejamento estratégico que primam pela especularização têm-se criado cenários turísticos e gentrificação. Diante dessa realidade, questiona-se se as revitalizações, reabilitações, reconstruções ou desconstruções têm realmente promovido a vida nos centros urbanos ou definitivamente apressado sua morte.

Por outro lado a cidade é dinâmica, cria novas centralidades, sobrevive e regenera-se. Áreas cnsideradas opacas no sentido oposto ao destaque dado àquelas destacadas pelos holofotes do espetáculo, resistem como lócus da diversidade e de atividades populares, mostrando-se cada dia mais vivas.

Mas a destruição sucessiva dos centros urbanos também tem sido causada pela falta de políticas públicas que garantam o adequado uso e ocupação do solo, de maneira planejada, de forma a evitar frequentes catástrofes urbanas associadas às constantes alterações climáticas (como as sucessivas enchentes em diversos lugares do país). Faz-se portanto necessário, pensar o que foi feito e o que se pretende, e como arquitetos, engenheiros, planejadores urbanos, em suas multidisciplinares atuações, devem responder à situação crítica em que as cidades chegaram ao início do novo milênio.

Entendendo as dinâmicas do espaço habilitado a partir de suas especificações históricas, identitárias, físicas (de construção ou modificação do sistema natural), bem como as formas de planejar e ordenar o crescimento, o II Seminário Internacional URBICENTROS, pretende receber trabalhos que discutam propostas e ações que garantam a vida aos centros urbanos, considerando também a importância da otimização dos recursos e aproveitamento do potencial energético.

EIXOS TEMÁTICOS

  1. CULTURA E IDENTIDADE: Formas de percepção e apropriação dos Centros Urbanos; utilização dos valores culturais e patrimoniais; cartografias e corpografias urbanas; experiências culturais de desconstruções e reconstruções; projetos de educação patrimonial e outras ações efetivas que preservem e promovam a vitalidade dos Centros Urbanos.
  2. ESTRUTURA E SUSTENTABILIDADE: Recursos técnicos para aplicação das políticas de proteção e revitalização na adequação dos Centros Urbanos às demandas sociais; garantia da vida e do conforto; adaptações e novas proposições que atendam questões da geografia, clima e eficiência energética.
  3. PLANEJAMENTO E GESTÃO URBANA: Discussão das políticas públicas e dos instrumentos de planejamento e regulação dos Centros Urbanos; o papel das administrações públicas e da iniciativa privada; participação popular; uso e reordenamento do solo nos Centros Urbanos (construção, reconstrução e desconstrução); mobilidade urbana.

O II Seminário Internacional URBICENTROS será realizado na Universidade Federal de Alagoas, em Maceió, de 27 de setembro a 1º de outubro de 2011.

Os trabalhos aprovados para a apresentação no Seminário, só serão publicados nos Anais do Seminário URBICENTROS 2011, se pelo menos um (01) de seus autores constarem entre os inscritos na Conferência. 

O PAGAMENTO DAS INSCRIÇÕES DEVE SER FEITO NO SITE DO EVENTO http://www.pos.arquitetura.ufba.br/urbicentros_2011.swf

Avisos

 
Nenhum aviso publicado.
 
Outros avisos

Imagem de cabeçalho da página inicial da Conferencia

Informações sobre a Conferência

ATENÇÃO!!! 

Caros autores,

Caso você tenha seu trabalho aceito para publicação no formato de artigo completo ou resumo, por favor, siga as instruções; 

1.    Efetue as correções indicadas pelos avaliadores (se for o caso);

2.     Insira o trabalho no TEMPLATE do evento, clicando no link URBC11, contendo cabeçalho e rodapé padronizados (caso seu trabalho não tenha sido enviado no modelo padrão);

3.    Complete com os nomes e instituições de todos os autores, assim como demais informações que foram omitidas para a avaliação cega;

4.    Retorne o novo arquivo até 20 de junho exclusivamente para o e-mail urbicentros2011@gmail.com;

5.    Efetue o pagamento e inscrição de pelo menos um dos autores até o dia 7 de julho (vide instruções no link "inscrições" no endereço do evento: http://www.pos.arquitetura.ufba.br/urbicentros_2011.swf

Esclarecemos que o aceite definitivo do seu trabalho está condicionado ao envio do novo arquivo no formato definitivo em 20 de junho e a publicação nos anais do evento está condicionada ao pagamento e inscrição de pelo menos um dos autores até 7 de julho.

Durante o mês de julho a comissão organizadora entrará novamente em contato com os autores que tiveram seus trabalhos selecionados também para APRESENTAÇÃO ORAL durante as Sessões Temáticas do evento.

Instruções para autores que tiveram o artigo aceito para a publicação do RESUMO, com apresentação no formato de BANNER:

- Neste caso, você deverá reenviar seu arquivo contendo as informações completas dos autores e respectivas instituições até 20 de junho e também efetuar inscrição e pagamento até 7 de julho;

- O banner deverá ser confeccionado em lona vinílica, no tamanho padrão (80 x 120 cm), diagramação livre e entregue no dia do evento para a equipe responsável para fixação em local específico, ficando por conta do autor a retirada ao final.

 Atenciosamente,

Comissão Organizadora.

 

O crescimento e a expansão das cidades provocaram, no entanto, um processo de descentralização das atividades econômicas onde estes centros urbanos, em primeiro momento, passaram a ser identificados como entraves ao desenvolvimento e crescimento econômico, em função das características inerentes à sua estrutura física - traçado, parcelamento e tipologia edílica.

A despeito destes processos de descentralização, estas áreas seguem guardando importância econômica, política, histórica, cultural e uma forte significação simbólica para construção das identidades locais.

Essa concepção do valor arquitetônico, histórico e cultural das áreas centrais influenciou, durante um período, a forma de intervir e de se planejar nessas áreas, que passaram a ser vistas como locais a serem cristalizados e protegidos, fomentando políticas de preservação e de restauração que, contudo, não conseguiram, na maioria das vezes, estancar o processo de esvaziamento e de decadência das áreas centrais. A partir da consciência corrente de que ações de preservação e de restauração não são mais suficientes, emerge uma nova abordagem, formulada a partir da ideologia de que as áreas centrais estão degradadas socialmente e deterioradas fisicamente, sendo, portanto, necessários promover ações de requalificação, reabilitação, revitalização, enfim, ressuscitar um organismo que está, no discurso, "morto", apesar de continuar sendo o lócus da diversidade de atividades populares, da integração dos transportes e, em especial, lócus das camadas mais populares. Essas propostas de requalificação estão muitas vezes inseridas em um discurso político típico de um planejamento estratégico que prima pela especularização, criando cenários turísticos e gentrificação.

Não obstante, as áreas centrais, a despeito da ideologia difundida, resistem com uma dinâmica própria de funcionamento e não podem mais ser tratadas como uma parte isolada da cidade que sobrevive somente graças ao seu valor simbólico. É em defesa dessa vida (popular e democrática) das áreas centrais, que o Seminário prima pela integração dos estudos e teorias sobre eventos históricos e a questão da produção da cidade como um todo, agregando às discussões acadêmicas as ações de diversas instituições públicas, como prefeituras, órgãos estaduais e federais, assim como as contribuições provindas da articulação dos próprios moradores, através das associações emergentes nas comunidades, formando um corpo de conhecimentos mais amplo e multifacetado. O seminário URBICENTROS configura-se como o espaço agregador destas diferentes abordagens, palco de trocas e de produção de saberes.

Construir, Reconstruir, Desconstruir: Morte e Vida dos Centros Urbanos.

O valor histórico, arquitetônico e cultural de certas áreas, vem influenciando as formas de intervenção na cidade, que muitas vezes passam a ser vistas como locais cristalizados e protegidos. Nas difundidas propostas de requalificação inseridas em discursos políticos de planejamento estratégico que primam pela especularização têm-se criado cenários turísticos e gentrificação. Diante dessa realidade, questiona-se se as revitalizações, reabilitações, reconstruções ou desconstruções têm realmente promovido a vida nos centros urbanos ou definitivamente apressado sua morte.

Por outro lado a cidade é dinâmica, cria novas centralidades, sobrevive e regenera-se. Áreas cnsideradas opacas no sentido oposto ao destaque dado àquelas destacadas pelos holofotes do espetáculo, resistem como lócus da diversidade e de atividades populares, mostrando-se cada dia mais vivas.

Mas a destruição sucessiva dos centros urbanos também tem sido causada pela falta de políticas públicas que garantam o adequado uso e ocupação do solo, de maneira planejada, de forma a evitar frequentes catástrofes urbanas associadas às constantes alterações climáticas (como as sucessivas enchentes em diversos lugares do país). Faz-se portanto necessário, pensar o que foi feito e o que se pretende, e como arquitetos, engenheiros, planejadores urbanos, em suas multidisciplinares atuações, devem responder à situação crítica em que as cidades chegaram ao início do novo milênio.

Entendendo as dinâmicas do espaço habilitado a partir de suas especificações históricas, identitárias, físicas (de construção ou modificação do sistema natural), bem como as formas de planejar e ordenar o crescimento, o II Seminário Internacional URBICENTROS, pretende receber trabalhos que discutam propostas e ações que garantam a vida aos centros urbanos, considerando também a importância da otimização dos recursos e aproveitamento do potencial energético.

O II Seminário Internacional URBICENTROS será realizado na Universidade Federal de Alagoas, em Maceió, de 27 de setembro a 1º de outubro de 2011.

 
O I Seminário Internacional URBICENTROS: Morte e vida dos centros urbanos, tem como tema o debate sobre as áreas centrais urbanas, quase sempre coincidente com os sítios históricos urbanos iniciais e que constituíram-se, devido à acessibilidade facilitada (CORRÊA, 1989), em lugares referenciais de convergência.
Creative Commons License
Este trabalho está sob a licença Licença Creative Commons Attribution 3.0.